volta Main Page
Loupha's Firsts
Microfones - estudo (white paper)
Logotipo
Foto frontal do Novo Rack
Jan 2010 (descrição no fim-de-página)
Foto frontal do Antigo Rack (robozinho)
Jan 2008

LOUPHA - Equipamento de Audio P.A.
(Jan 2010) - defasado. Aguardem o Novo

Nota: ... parece pequeno e é mínimo. Todo o conjunto está conectado nele, acredite. Sem amps (de guitarra) no palco e pouquíssimos fios.

Foi difícil de planejar. Este enxuto custou mais caro que um mega-equipamento, principalmente porque trocamos tudo várias vezes. Cabe num Fusca (cuidado! fragile!).

Ao rack da foto damos o nome de robô. Nele cada instrumento tem seu caminho próprio, no palco ou gravação. Tudo automatizado via programação em PHP num laptop rodando o Firefox. Nos orgulhamos muito desta configuração porque "anima" os músicos e socega os clientes. Não usamos monitores de retorno. Como projetado desde 2001. Alcançamos o 5P: portátil, palco limpo, potente, programado e perfeito.

O som é muito forte mas jamais "grita". É um sonzaço de rock, porém clean. Não toma espaço no palco (nem fora dele). O robô prepara todo o som em puro Stereo (dois fios, left & right) para todos os microfones e instrumentos.

Simples não? Pois levou 7 anos de estudo (só nele) e 6 gerações de troca geral. Muito trabalho e dinheiro. A automação por computadores estava pronta desde o início, mas só agora a usamos.

Esta história demorou a terminar por razões complexas. Entre elas, que os aparelhos finais necessários ainda não haviam sido fabricados.

Em Set 2003 estreamos e aprovamos a primeira bateria eletrônica portátil e sensível. Ajudamos os chineses a desenvolvê-la. Não era robusta o suficiente, mas uma graça. Agora chegou a nova (final, única) muito Pro e está um sonzão. Trambolho? Nunca mais! Nota: se alguém quiser discutir o mérito sobre uma bateria acústica, vai perder em todas as instâncias.

Em 2004 consolidamos o equipamento. Em 2006 o equipamento foi mais reduzido (já com poucos fios) e esvaziou o palco. Já torramos uma nota em sem-fio (wireless - mics, guitarra - estamos lotados), mas só agora chegamos a um estágio inicial usável.

Final: Estamos com o equipamento mais moderno existente. É o suficiente e fim.

Listagem Atual e Conexões:


Vermelho: Microfone Shure ou sem-fio UHF > MicPreamp Behringer 800 > Mesa no Send 1
Mattoso e Edgard: par de mics Winbel sem-fio > Mesa no Send 2 HPF (75Hz high-pass filter)
Levy: Microfone Sony com/sem-fio > Mesa no Send 2 HPF
Audrey: Microfone AKG880 > Mesa no Send 2 HPF
Guitarra Mattoso: Baldwin ou Gianinni > Distorsor Roland > Mesa no Send 2 light HPF
Guitarra Vermelho: "Azul" ou Strato > DigiTech RP3 programado > Mesa
Send 1 > Boss SE-70 > Return Mesa
Send 2 (usamos efeitos internos)
Teclado Controller Roland > Alesis S4+ e Roland SC-33 > Mesa
Baixo > Mesa
Bateria DD55c > Mesa
Amp Staner25 de Guitarra para monitor do Baixo (nosso único monitor)
Mesa Alesis Firewire Multimix16
(opcional) NanoCompressor Alesis p/ DJ
 
acrescente-se MIDI-mixer, laptop, vários equipamentos sem-fio, microfones de todos tipos, módulos de som, limiters, teclados e filtros sonoros que raramente são utilizados

Entendendo o Som:

confusão de fios bem arrumados
Setup Novo
... atraz é só uma confusão de fios (programação)
Setup antigo

- Os quatro do vocal têm setup "parecido" facilitando o canto em conjunto. O baixista faz a 2ª voz. O Mattoso e Levy fazem o baixo ou a minha dobra. A Audrey faz a ponta alta ou a oitava (ela é a "relativa", a VI), às vezes com efeito de dobra.

- O microfone do Vermelho é mágico. Ele o "encontra" onde estiver. Necessita treinamento, mas o som sai fortíssimo e sem berros, muito nítido, "fixo" no volume perfeito.

- Os do vocal, na soma, estão regulados um pouco mais forte. O resultado é um coral muito equânime, mas que continua a dar destaque ao cantor. A regulagem geral é afinada em gravações.

- O Teclado é programado com patches e mixes bem complexos e mapeados. Dispõe uma instrumentação muito completa (ex:Piano+Violinos+Flautas, setorizados no teclado).

- A guitarra do Mattoso é fixa e desenhada para cada música. Ele também usa um velho distorsor Boss (foi do Holly Tree). Som de guitarra, puro e inglês. (Nota: Ele agora está tocando mais com a Gianinni SuperSonic porque o botão de volume é mais prático - e economiza sua ca/rara Baldwin/Burns)

- A guitarra do Vermelho é "muito" inglesa. Ele não usava pedais, mas "se rendeu" por um RP3 que ganhou de presente da Claudia Padilha. Todas programações têm "som de guitarra" (pouco efeito). Com isso ele chega ao exagêro de tocar Satisfaction com o violão clássico.

- O som do baixo é limpo e único, tipo: - Esquece!.

- O efeito nas vozes e nas guitarras é sempre regulado pelo estilo (setup) escolhido em cada musica. Os nomes são: Beatles, Chorus-Doubler etc. Na foto está RollingStones, mas é programação própria (não usamos presets em nada).

- Os limiters são invisíveis e perfeitos.

- Tudo é equalizado em padrão internacional. Pronto para qualquer gravação ou acoplagem direta com DJs (velho left & right).

Nota: Com este equipamento, abandonamos o uso de Pré-Master (tínhamos 2) e equlizadores.


Nota1: Nós apoiamos (com razão) os equipamentos e instrumentos brasileiros: SÃO ÓTIMOS e parrudos. Nossa ex-mesa Staner substituiu uma Roland, para melhor.O violão elétrico Tonante (refurbished pelo Jair da Vintage) tem perfeito som de violão clássico e os ampzinhos de guitarra que temos (vários) são bombásticos. Acorda Pessoal, confia no Brasil!

Nota2: As fotos são para dar água na boca. Tudo simples na frente e, atraz ... o inferno!

O Rack:

No Natal de 2009, ganhei de presente do Dudu Fecarotta, um saco de equipamentos profissionais (Juro, só o Dudu, meu parceiro). Montei e desmontei o Rack tres vezes. Deu nisso: um tremendo som, perfeito 100% - verdadeiro estudio nível Hollywood. Com as modificações, foi possível botar ordem nos fios, e ter melhor acesso aos equipamentos (no escuro do show, é difícil). Abaixo a descrição de cima para baixo, esquerda para direita:

Nota: É claro que com a retirada de vários equipamentos, às vezes será necessária a adição (externa) de algum outro. Tenho um armário cheio de equipamentos "queridos". A amplificação é sempre separada do Rack.

 
volta ao topo